porLouise Andrade

Cultura Organizacional

O que é a Cultura Organizacional?

É o conjunto de características próprias e fundamentais na construção da sua identidade, como missão, visão, valores, ambições da empresa, e o seu diferencial perante os concorrentes.

Para que serve essa cultura?

A cultura organizacional serve para apresentar aos colaboradores seus deveres, obrigações e quais comportamentos adequados para o ambiente de trabalho. Essas características da empresa devem ser respeitadas por todos os profissionais que trabalham no local.

Por que a Cultura Organizacional é importante?

A importância de existir uma cultura organizacional bem estruturada e adequada na sua empresa é a influência sobre: a experiência dos clientes com a marca ou produto; a motivação e comprometimento de seus funcionários com o trabalho que exercem; e por fim, os bons resultados que a empresa terá de retorno ao manter seus dois maiores pilares satisfeitos com a sua cultura.

Existe mais de uma Cultura Organizacional? 

É claro que sim! Cada empresa tem suas particularidades e pode escolher o tipo de Cultura Organizacional que mais se encaixa com seu negócio. Sendo as cinco principais culturas:

1- Cultura da Liderança Enriquecida e da Inovação

– O foco é identificar os profissionais engajados e que se destacam pelo trabalho que exercem dentro da organização;
– Todos sabem o que devem ser feito e buscam fazer da melhor forma que podem;
– Existe um alinhamento de objetivos entre a empresa e os colaboradores;
– O ambiente é motivador e estimula os funcionários a produzirem mais e ainda com melhor qualidade.

2- Cultura da Culpa

– Tem como características marcantes os conflitos internos, desconfiança e falta de responsabilidade;
– Dos gestores aos funcionários, todos transferem a culpa entre si por erros e resultados negativos;
– Não há muito aprendizado nessa cultura, pois todos agem como se tudo soubessem;
– Essa postura é um reflexo das mais altas camadas da empresa que se estende por toda ela.

3- Cultura de Quem Respeita a Marca

– Os objetivos da empresa é um fator comum a todos que trabalham no local;
– Todos trabalham buscando os melhores resultados;
– É marcada por um grande poder de liderança;
– As camadas mais altas conseguem repassar seus valores aos colaboradores;
– Gera motivação e empenho nos funcionários;
-Foco maior no coletivo e menor no individual;
– Ainda assim, é possível existir conflitos, pois uns tendem a se destacar mais que outros.

4- Cultura Multidirecional

– Muita competição e individualismo;
– Ambiente difícil para liderar e identificar competências;
– As pessoas não estão dispostas a se ajudar;
– O ambiente não é saudável e sustentável.

5- Cultura do Viva e Deixe Viver

– Não existe plano de carreira;
– Desvalorização do funcionário;
– Não dão feedback sobre os funcionários;
– Essa cultura gera desmotivação aos colaboradores, pois sabem que estão estagnados e não serão avaliador por nenhum setor.

Obrigada por ler até aqui! Volte sempre 😉



porLouise Andrade

Como iniciar o meu próprio negócio?

Em pesquisa realizada pela  Global Entrepreneurship Monitor (GEM), o Brasil aumentou o número de empreendedores em 32,7 milhões dos anos de 2007 a 2017, triplicando o número de pessoas entre 18 e 64 anos que exerciam alguma atividade no país.

Para lhe ajudar, trouxe algumas dicas de como abrir seu próprio negócio de forma eficiente:

1- O que vou oferecer aos meus clientes?

O primeiro passo é decidir o ramo de atuação que deseja, ou seja, definir o seu produto ou serviço, qual público-alvo que a empresa tem pretensão de atingir com esse novo produto/serviço dentro do ramo de negócio.

2- Proposta de Valor: como fazer a minha?

Aqui é o momento de criar a sua Proposta de Valor, que nada mais é que mostrar ao seu consumidor como o seu produto resolve ou melhora a situação dele, a experiência única que ele terá ao investir em seu produto/serviço e os benefícios que você oferece a ele.

3- Missão: o que é e como definir a da minha empresa?

A missão é o motivo pelo qual você criou a sua empresa. Ela reflete a identidade do seu negócio e, por isso, não costuma sofrer alterações com o passar dos anos.

Para criar a sua missão, faça as seguintes perguntas abaixo:

-Para que serve a empresa?

– Qual problema a empresa resolve para o seu cliente?

– Quais necessidades a empresa atende?

– Qual é o seu benefício para o consumidor?

– Qual o papel da empresa na sociedade na qual está inserida?

– Quais são as necessidades que a empresa atende?

E lembre-se: a missão não deve ser o objeto central da sua empresa, pois esta característica fica mais restrita às organizações religiosas, militares ou para empresas com fins não lucrativos.

Tem alguma dúvida, sugestão ou informações a acrescentar, deixe o seu comentário!

porLouise Andrade

Internet: o crescimento dos acessos nos lares brasileiros

 

Criada pela CETIC, a TIC Domicílios, tem como objetivo identificar o acesso a internet e uso das tecnologias de informação no Brasil.

A pesquisa nacional é feita através de entrevistas domiciliares com questionários via tablets direcionada a maiores de 10 anos.

Os resultados de 2017 apresentaram, nas regiões urbanas, crescimento de 65% de acesso à internet (38,8 milhões de lares). Já a totalidade de conexões nas residências é de 61%, o equivalente a 42,1 milhões de lares conectados.


Ainda com as desigualdades por classe socioeconômica e áreas urbanas e rurais o acesso à Internet faz-se presente em 34% das residências da área rural (era 26%, em 2016), 30% dos domicílios de classe D/E (aumento de 7% comparando a 2016) e nas classes A e B, as proporções são de 99% e 93%.

O estudo aponta que o preço da internet continua sendo o principal motivo mencionado para a ausência de conexão nos domicílios: 27% dos entrevistados afirmaram que o serviço é caro. De acordo com Alexandre Barbosa, gerente do cetic.br“O dado revela ser cada vez mais essencial o investimento em infraestrutura e em políticas públicas que possibilitem que todos os brasileiros possam ter acesso à Internet em suas casas, sem distinção de classe social ou região geográfica.”


A TIC Domicílios 2017 registrou também maior estabilidade em relação ao ano anterior, seja por residência conectada por banda larga fixa (64%) ou móvel 3G ou 4G (25%). E o maior acesso à Internet continua sendo o móvel mais utilizado por domicílios de classes D/E (48%).

Pela primeira vez, a pesquisa obteve o resultado de que o acesso via celular (49%) superou os de quem utiliza celular e computador (47% ).

Para saber mais, acesse as páginas deles:

http://www.cetic.br/

http://www.nic.br/

http://www.cgi.br/

 

porLouise Andrade

Influenciadores digitais: os atuais ídolos dos meios digitais

As transformações tecnológicas que vem ocorrendo estão abrindo espaço para que novas pessoas elevem o seu poder de transformação e representatividade no mundo. Sendo esses os Digital Influencers, cuja tradução é Influenciadores Digitais, são pessoas que estão mudando os meios de comunicação e da publicidade.

 

Mas o que é um Digital Influencer?

 

Em sua maioria, são pessoas bem relacionadas no mundo virtual, formadoras de opinião que inspiram uma legião de fãs que as acompanham pelas redes sociais. E ser um influenciador digital, nessa era de redes sociais, é ter a garantia de muitos privilégios.

E já podemos ver alguns desses famosos instagrammers ou youtubers, em diversas áreas tais como no jornalismo, ou no cinema.

 

Como um Digital Influencer reflete na economia?

 

O marketing está fortemente envolvido a esses formadores de opinião. As empresas os contratam para efetuar estratégias de Marketing de Influências.

E diversas companhias já têm recursos destinados exclusivamente para o investimento dessas ações pelas redes sociais, com a finalidade de conversões em vendas pela internet. Esse mercado vem crescendo muito nos últimos anos e já movimenta bilhões de dólares.

 

Alguns dos Influenciadores digitais mais conhecidos do meio são:

 

  • Whindersson Nunes

 

Esse Youtuber está na primeira posição do ranking brasileiro de influenciadores digitais. O humorista tem mais de 23 milhões de inscritos em seu canal, e nele há publicações de vídeos com diversos conteúdos, desde a paródias de clipes musicais, até cenas de seu cotidiano.

 

  • Thássia Naves

 

Ela já foi eleita uma das 25 mulheres mais influentes do mundo da moda. E o seu perfil no Instagram tem o alcance de mais de 2,9 milhões de pessoas. Nessa rede social ela exibe looks em parcerias com grandes marcas, estas que disputam uma possível divulgação em seu feed.

 

  • Bruna Tavares

 

É uma blogueira influenciadora de sucesso, e o seu blog de beleza “Pausa para Feminices” se tornou um dos mais acessados e respeitados do Brasil. Já participou de muitas campanhas de marcas renomadas, e hoje ela possui sua própria linha de cosméticos.

porLouise Andrade

Plano de Marketing: entenda o que é

Toda empresa que busca se aprimorar e expandir a sua participação no mercado precisa ter um Plano de Marketing para criar excelentes estratégias de atuação, este que é indispensável para o sucesso de qualquer empreendimento. E para que você entenda o que é, basta continuar lendo o post!

 

O que é plano de marketing?

 

É um documento onde se detalha as ações que uma empresa deva ter. É um panorama claro de metas e estratégias bem definidas dentro de um projeto. Vejamos algumas etapas que esse plano deve conter:

  • Planejamento e definição dos objetivos de marketing, analisar o ambiente, o público-alvo, as metas, e os custos envolvidos;
  • Um plano de ação, as ferramentas que serão utilizadas para assegurar o alcance dos resultados almejados, e estipular prazos;
  • Para ao final avaliar e examinar se as ações que foram executadas estavam de acordo com o que foi planejado.

 

E porquê deve se fazer um plano de marketing?

 

O cenário econômico atual cobra por resultados, e a ausência de um Plano de marketing pode levar a alguns empreendedores a cometerem erros na hora de lidar com certas situações e a tomar decisões.

E por isso esse plano deve ser tido como ferramenta indispensável para o norteamento de uma empresa. Vejamos algumas razões para se ter um plano:

  • Ele ajuda os empreendedores a ter uma visão ampla e a estar sempre atualizado quanto às mudanças do mercado;
  • Ajuda a adaptar as tendências;
  • Minimizar possíveis impactos;
  • Auxiliar na tomada de decisões certas para alcançar as metas definidas;
  • E cria vantagens com relação a concorrência.

E para lidar com esse mercado online que se consolida cada vez mais esse o canal de comunicação entre consumidores e empresas, é necessário ter estratégias inovadoras de Inbound Marketing.

 

Mas afinal, o que é inbound marketing?

Inbound Marketing é o conjunto de estratégias criativas que visam atrair o interesse do público-alvo específico para site da empresa, e comunicar com seus possíveis clientes de forma direta, na busca de um relacionamento duradouro.

Agora que você tem todos os conceitos já definidos, está na hora de começar de pôr em prática todos eles, e turbinar a estratégia de marketing da sua empresa. Vamos lá?

porLouise Andrade

Saiba quais as redes sociais mais usadas

As mídias sociais trazem uma nova proposta de participação em sociedade. E pelas redes sociais mais usadas do momento é possível publicar aquela foto incrível, mostrar o que está acontecendo ao seu redor naquele momento, e ainda ficar sabendo das novidades que os amigos postam, dentre tantas outras possibilidades, em apenas um clique.

 

Trouxemos a você uma lista das redes sociais mais usadas e como você pode aproveitar o melhor de cada uma delas:

 

1. Facebook

Essa plataforma lidera o ranking das redes sociais mais usadas do momento, possuindo mais de 2 bilhões de usuários. E por essa rede é possível criar perfis, enviar e receber mensagens de usuários, dentre várias outras funções. Por essa mídia você pode:

  • Criar anúncios;
  • Publicar em sua timeline e compartilhar com seus amigos, vídeos, textos e fotos;
  • Ative no perfil do usuário ou página para “receber notificações”, assim você fica sempre informado sobre as publicações daquela pessoa no seu feed de notícias.

2. WhatsApp

Esse aplicativo tem mais de 1,3 bilhões de usuários ativos. Ele é utilizado para troca instantânea de mensagens de texto, vídeos, fotos e áudios através de uma conexão com a internet. Veja seus usos:

  • Escolha e configure se deseja fazer ou não, download automático das mídias que receber em seu celular de amigos ou de grupos de amigos;
  • Envie mensagens para várias pessoas sem precisar criar um grupo. Através das funções “Nova Transmissão” ou “Listas de Transmissão”;
  • Acesse essa mídia pelo seu computador pelo “WhatsApp Web”.

3. Facebook Messenger

Esse aplicativo possui seus 1,2 bilhões de usuários. Por ele você envia mensagens instantâneas do Facebook, dentre muitos outros recursos. Observe a lista:

  • Envie e receba arquivos multimídia, realize ligações gratuitas;
  • Crie um atalho para o bate-papo diretamente na tela inicial do seu tablete ou smartphone;
  • Envie fotografias de forma privada e anime a conversa com os stickers.

4. Instagram

Tendo mais de 700 milhões de usuários, esse aplicativo pode ser baixado em seu smartphone e, por ele é possível tirar fotos, fazer vídeos e aplicar efeitos. Confira mais sobre essa mídia abaixo:

  • Mostre suas situações cotidianas, e faça várias postagens pelo recurso Stories, porém em 24h essas publicações serão apagadas automaticamente;
  • Poste fotos ou vídeos, e use nas legendas as hashtags, essas irão ajudar a sua publicação a ser encontrada por outros usuários;
  • Faça transmissões em tempo real pelo recurso “Ao Vivo” desse aplicativo para seus seguidores. Não é demais?
porLouise Andrade

O que é SEO?

Sendo você da área de tecnologia ou não, provavelmente já ouviu o termo, ficou curioso e resolveu buscar o que é SEO (Search Engine Optimization).

 

SEO é o processo utilizado para que seu site obtenha maior tráfego orgânico. Tem como tradução em si: “otimização para mecanismos de busca”.

 

O mecanismo dos principais buscadores atuais como Google, Bing e Yahoo trazem como primeiros resultados de pesquisa o que é considerado mais relevante para seus usuários.  Por não ser considerado como tráfego orgânico, o anúncio de pesquisa pago não é considerado.

 

Para exemplificar, pesquisei no Google por ‘agência digital’, na aba anônima -para não influenciar pesquisas feitas antigamente ou o local em que me encontro. Após os anúncios do Google, encontramos em sétimo lugar a Equilibra Digital, atual empresa na qual trabalho.

SEO On-site e Off-site

SEO On-site
SEO on-site são as técnicas responsáveis pelas as otimizações dentro do seu site: estrutura html, boa utilização dos headers, utilização das metatags e etc.

SEO Off-site
SEO off-site são as técnicas responsáveis pelas as otimizações fora do seu site: qualidade dos links para seu site e etc.

Como faço para gerar tráfego orgânico para o meu site?

DESCUBRA SEU PÚBLICO
Sua marca/empresa precisa que sejam feitas pesquisas e observações das pessoas que acompanham a empresa/marca para saber o gênero, idade, trabalho e do quê elas gostam. Essas informações coletadas serão utilizadas para direcionar a criação do planejamento e estratégias de marketing para que seu público seja atingido.

INVISTA EM SEO
Agora você já sabe o que é SEO e que ele é o caminho para o tráfego orgânico! Investir nesse processo requer uma das duas opções: buscar cursos de especialização em SEO(como os da Alura, Udacity, entre outros). Ou contratar profissionais que irão criar, analisar e direcionar o conteúdo a ser postado através de palavras-chaves escolhidas adequadamente para sua marca/empresa.

VEJA NOSSO GUIA DE SEO PARA 2017
Na Markat estamos preparando o material escrito da nossa palestra “SEO: o que é e o que funciona”, quer estar entre os primeiros que receberão esse material? Inscreva-se abaixo:

 

porLouise Andrade

Cuidado: o que você divulga pode ‘pegar mal’

No dia 24 de agosto de 2017, vi uma vaga de emprego em São Paulo, em uma página ‘famosa’ de Social Media no facebook.

Após buscar sobre a empresa divulgada no post no site da Lovemondayssite em que funcionários fazem resenha sobre as empresas em que trabalham  

Li as duas páginas em que falam sobre a empresa apresentada e notei que a page apresentou uma propaganda vazia, sem pesquisa sobre o local de trabalho qual estavam divulgando.

Cuidado com o que você divulga.

O importante não é ser uma pessoa/empresa com grande número de seguidores, comentários, likes e compartilhamentos em redes sociais.

Mas sim uma pessoa/empresa que busque conteúdo relevante e apresente o melhor para aqueles que lhe dão credibilidade.

Você deve evitar que qualquer busca profunda no que você divulgue retorne um conteúdo vazio. Afinal, o seu público ficará decepcionado e não irá mais consumir o que você tem para gerar de conteúdo.

Se a sua ideia é ser visto como alguém que traz informações relevantes, não aceite fazer postagens que possam prejudicar a sua imagem. E assim, ais uma vez, reforçamos a importância do inbound marketing para a geração não só de conhecedores e compradores, mas de promotores da sua marca.

Lembre-se: o conteúdo que você cria ou reproduz determina quem você é.